José Pedro Croft

Et sic in infinitum

Saber mais
26 Jan 23 - 28 Mai 23 Museu

A exposição Et sic in infinitum de José Pedro Croft, patente nas salas das exposições temporárias do Piso 1 da Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva, é comissariada por Sérgio Mah e tem o apoio mecenático da Fundação Carmona e Costa.

A exposição reúne trabalhos em escultura, desenho e gravura, maioritariamente produzidos nos últimos dois anos. Cada uma das obras revela elementos de círculos ou de circunferências, em planos mais abrangentes ou parcelares, submetidos a variações cromáticas, a cortes, descentramentos e sobreposições, de modo a configurar formas que se desalinham e se repartem, procurando desencontros, desvios profícuos, articulando frequentemente as suas qualidades bidimensionais e tridimensionais. Deste modo, partindo de uma mesma forma básica e arquetípica, o artista explora um imenso campo de possibilidades estéticas e perceptivas, através de uma sucessão de permutações que indaga a volatilidade e a impermanência das formas, manifestando a sua inclinação por modos mais abertos e múltiplos de pensar, ver e criar, e comprometendo-nos com as oportunidades que derivam da experimentação e da variação criativa, entendidas também como critérios fundamentais na relação multiforme com o mundo e a arte do nosso tempo.

O título Et sic in infinitum é uma citação da frase que consta em cada um dos lados de um desenho do físico e cosmologista Robert Fludd, reproduzido no seu livro Utriusque cosmi maio­ris scilicet et minoris metaphysica, physica atque technica his­toria in duo volumina secundum cosmi differentiam diuisa (1617-1621). Reconhecido como umas das primeiras repre­sentações da criação do universo, o desenho dá a ver um qua­drado negro imperfeito (em rigor é um trapézio), a imagem do pré-universo, do nada, do vazio negro (e sem forma) ante­rior ao evento da criação.festando a sua inclinação por modos mais abertos e múltiplos de pensar, ver e criar, e comprometendo-nos com as oportuni­dades que derivam da experimentação e da variação criativa, entendidas também como critérios fundamentais na relação multiforme com o mundo e a arte do nosso tempo.

A exposição Et sic in infinitum pode ser visitada até 28 de maio de 2023.

José Pedro Croft, S/título, 2022, Ferro pintado com desenho na parede.

José Pedro Croft, S/título, 2022, Ferro pintado.

José Pedro Croft, S/título, 2021 | Água tinta e água forte.

Parceiros e apoios
  • Fundacao-Carmona-e-Costa

Newsletter

Não perca as nossas exposições, eventos e oficinas