PT
ENG
A intuição e a estrutura...
A intuição e a estrutura...
A intuição e a estrutura. De Torres García a Vieira da Silva 1929-1949

O centenário do nascimento de Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992) foi o mote para esta exposição comissariada por Eric Corne, organizada em co-produção com o Instituto Valenciano de Arte Moderna (IVAM), em Espanha.
As cento e vinte obras que se apresentam, entre as quais seis trabalhos inéditos de Vieira da Silva, ilustram a profunda relação de amizade que se estabeleceu entre o pintor uruguaio Joaquín Torres-García (1874-1949) e a pintora portuguesa, originária, à parte da grande admiração que Maria Helena sempre manifestou pelo trabalho do pintor, de um artigo muito elogioso que Torres Garcia escreveu sobre o trabalho de Vieira por volta de 1942, que se revelou de extrema importância nos tempos difíceis que a pintora viveu no Brasil.
Com o contributo de 35 museus e coleccionadores de todo o mundo, foi possível montar uma exposição que, pela primeira vez, confronta e cruza vinte anos de trabalho de Torres Garcia e de Vieira da Silva, equilibrada pela estrutura pictural que ambos partilham, apesar dos trinta anos que os separam.
Quando sair do Museu Colecção Berardo, a exposição "A Intuição e a Estrutura: De Torres-García a Vieira Da Silva 1929-1949" irá estar patente no Instituto Valenciano de Arte Moderna de 25 de Fevereiro a 03 de Maio de 2009.

VOLTAR
© Copyright FASVS 2010 | Design by MOZO