PT
ENG
MATTHIAS SCHALLER. OBRA PRIMA || Fotografia
Sala de exposições temporárias
18 Janeiro 2018 - 04 Março 2018
MATTHIAS SCHALLER. OBRA PRIMA || Fotografia

Obra Prima (no original Das Meisterstück) é o título da exposição de Matthias Schaller na Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva, com fotografias de paletas dos artistas Vieira da Silva, Edgar Degas, Paul Cézanne, Claude Monet, Paul Gauguin, Vincent van Gogh, Emil Nolde, Henri Matisse, Pablo Picasso, Giorgio de Chirico, Joan Miró  e Cy Twombly, a partir de 18 de Janeiro e pa­tente até 4 de Março de 2018.

Na série Das Meisterstück, Matthias Schaller considera cada paleta uma revelação e um retrato indirecto do artista, reveladora da sua técnica pictórica. As fotografias de Schaller proporcionam uma visão inédita do uso da cor pelos artistas, bem como da sua forma de pintar e de organizar o espaço. Desde 2007 que Schaller se dedica a captar a beleza destas paletas de artista, usando-as como uma janela de acesso ao seu génio criativo. Através do processo de captação de mais de duzentas paletas de cerca de setenta pintores dos séculos XIX e XX, Schaller olha cada uma como uma pintura inconsciente, ou como pintura antes da pintura. A paleta é a paisagem abstracta da produção artística de cada pintor.

Estes artistas contam com, pelo menos, uma paleta nesta série:

Jacques-Louis David, J.M.W. Turner, John Constable, Camille Corot, Eugène Delacroix, Gustave Courbet, Johan Jongkind, Gustave Moreau, Camille Pissarro, Gustave Doré, Edouard Manet, Edgar Degas, Paul Cézanne, Claude Monet, Pierre-Auguste Renoir, Giovanni Boldini, Paul Gauguin, Vincent van Gogh, John Singer Sargent, Giovanni Segantini, Lovis Corinth, Georges Seurat, Alphonse Mucha, James Ensor, Edvard Munch, Henri de Toulouse-Lautrec, Alexej von Jawlensky, Roger Fry, Wassily Kandinsky, Pierre Bonnard , Emil Nolde, Édouard Vuillard, Henri Matisse, Giacomo Balla, Piet Mondrian, Albert Marquet, Paula Modersohn-Becker, Maurice de Vlamink, Gabriele Münter, Paul Klee, Franz Marc, Ernst Ludwig Kirchner, André Derain, Albert Gleizes, Fernand Léger, Natalia Goncharova, Mikhail Larionov, Carlo Carrà, Pablo Picasso, Chaïm Soutine, Francis Picabia, Georges Braque, Amedeo Modigliani, Max Beckmann, Diego Rivera, Oskar Kokoschka, Marc Chagall, Giorgio de Chirico, Jean Cocteau, Giorgio Morandi, Naum Gabo, George Grosz, Joan Miró, René Magritte, Alberto Giacometti, Frida Kahlo, Balthus, Francis Bacon, Mariano Fortuny, Ferdinand Hodler, Gino Severini, Honoré Daumier, Wols, Nicolas de Staël, Asger Jorn, Yves Klein, Vieira da Silva and Cy Twombly.

 

 

Schaller nasceu em Dillingen an der Donau, Alemanha, em 1965. Vive actualmente em Veneza, Itália e Nova Iorque.

A ideia da Das Meisterstück (The Masterpiece) ocorreu a Matthias Schaller durante uma visita ao pintor Cy Twombly em Gaeta, em 2007. Ali, Schaller reparou que uma das paletas era muito semelhante às pinturas e aos desenhos de Twombly. Ao fotografá-la, Schaller deu início à Das Meisterstück, a série de paletas como “retratos indirectos” de artistas e das suas produções.

Matthias Schaller tem vindo a trabalhar, ao longo da sua carreira, na criação de variações do retrato ou do “retrato indirecto”. Uma selecção das séries que realizou inclui The Mill (2001-2002), fotografias da casa de Bernd and Hilla Becher; Echokammer (2003), quartos de crianças, em Nápoles, Itália; Purple Desk (2004-2008), sobre os gabinetes de trabalho dos cardeais da Cúria Romana; Controfacciata (2004-2014), com interiores dos andares nobres de palácios venezianos; Fratelli d’Italia (2005-2008), cento e cinquenta teatros de ópera italianos; Disportraits (2008-2009), quartos de astronautas; Leiermann (2010-2014), sobre espelhos venezianos; Punk City (2012), série sobre os setenta vinis historicamente mais relevantes dos primórdios da música punk.

Steidl publicou até agora quatro livros sobre o trabalho de Schaller: The Mill (2007), com um ensaio de Thomas Weski; Controfaccita (2008) com um ensaio de Richard Dyer; Purple Desk (2009) com um ensaio de Andreas Beyer; e um livro de retrospectiva do trabalho de Schaller, editado por Germano Celant (introdução e entrevista).

O próprio Matthias Schaller publicou recentemente o seu terceiro livro após Das Meisterstück (2015) e Leiermann (2016), por ocasião da apresentação da série Fratelli d’Italia, no Victoria & Albert Museum, em Londres. O livro apresenta cento e cinquenta teatros de ópera que o artista fotografou em Itália.
VOLTAR
© Copyright FASVS 2010 | Design by MOZO