PT
ENG
CONCESSÃO DA CAFETARIA DO MUSEU

Concessão da cafetaria do Museu Arpad Szenes – Vieira da Silva

 

A entrega de propostas deverá ser feita até ao dia 31 de Dezembro do ano corrente, de acordo com as regras a seguir estabelecidas. 

O espaço está disponível para visitas, mediante marcação prévia, no horário de funcionamento do Museu, terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h00, devendo a marcação ser efectuada via telefone. 

Todas as informações relevantes e condições de funcionamento do presente concurso aqui: www.fasvs.pt

UM MUSEU PARA TODOS: INCLUSÃO E ACESSIBILIDADES

Após a apresentação ao público no dia 8 de Novembro de 2018, do projecto MUSEU PARA TODOS: inclusão e acessibilidades, os modelos tridimensionais, bem como os guiões e as plantas em braille, estão disponíveis ao público, mediante marcação prévia por telefone (213 880 044) ou email (fasvs@fasvs.pt).

 

A Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva iniciou em Outubro de 2016 um projecto piloto com vista a melhorar a acessibilidade do público cego e com baixa visão à colecção do museu e ao conhecimento da vida e obra dos artistas Maria Helena Vieira da Silva e Arpad Szenes.

O projecto foi realizado com o apoio da Fundação EDP, no âmbito do programa EDP Solidária - Inclusão Social 2016, e com o patrocínio da Secretaria de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência.

 

O projecto MUSEU PARA TODOS integra três áreas de intervenção:

1)    o melhoramento da deslocação autónoma no espaço físico através da renovação do sistema de iluminação – adaptável ao tipo de público e de objecto em exposição;  a melhoria da sinaléctica adaptada aos públicos com necessidades especiais; a disponibilização de plantas dos espaços expositivos em relevo e com legenda em braille, para facilitar a autonomia e compreensão do espaço museológico a visitantes cegos ou com baixa visão;

2)    o acesso aos conteúdos culturais produzidos pelo museu, através da adaptação de obras-chave da colecção do museu a modelos tridimensionais, que permitam uma compreensão do processo criativo dos artistas residentes; a disponibilização de guiões em braille com informação sumária sobre obras em exposição no museu e biografia dos artistas; a utilização de tabelas com um tipo de letra maior, que permita ao público com baixa visão a leitura imediata das obras em exposição;

3)    a replicação deste projecto em outras instituições do país, com a itinerância dos modelos tridimensionais criados no museu, com vista a divulgar a vida e a obra dos artistas Maria Helena Vieira da Silva e Arpad Szenes, em particular junto dos públicos com necessidades especiais.

MANUEL CASIMIRO. PINTAR A IDEIA

MANUEL-CASIMIRO: PINTAR A IDEIA
de ISABEL LOPES GOMES

No dia 15 de Fevereiro (18h) estreia em Lisboa no Museu Arpad Szenes-Vieira da Silva, o filme sobre a obra de Manuel Casimiro, que teve a ante-estreia no Museu de Serralves no passado mês de Dezembro.

O filme foi premiado na última edição do Festival Caminhos do Cinema Português, com a Menção Honrosa e a seguinte observação do Júri: 
“um filme de trabalho, generoso, em que o objetivo torna-se ele próprio num gesto artístico."

Uma viagem pela obra do artista plástico Manuel Casimiro é o que se propõe neste documentário “Manuel-Casimiro: Pintar a ideia”.

Ao longo de 85 minutos  e através das imagens da obra que realizou ao longo de meio século, acompanhadas dos testemunhos do próprio artista e de reconhecidos filósofos, escritores e historiadores  de arte como Jean-François Lyotard, Michel Butor, Vincent Descombes, Bernardo Pinto de Almeida, entre outros, propõe-se um olhar profundo que revele ao espectador o essencial de uma obra que foi construída coerentemente ao longo das últimas décadas, sendo inegável o seu lugar na História da Arte Portuguesa dos últimos 50 anos.
Em 1996 a Fundação de Serralves e o curador Jean-Hubert Martin dedicaram-lhe a sua primeira retrospectiva e ainda que tenha exposto nos últimos anos em importantes museus a nível nacional e internacional, a sua obra é ainda desconhecida de muitos portugueses.
Uma vez que a imagem filmada permite entrar facilmente nos detalhes de uma obra, e chamar a atenção do espectador para outros aspectos de uma obra de arte, numa abordagem enriquecida pelos depoimentos de especialistas, este documentário - o único até ao momento dedicado exclusivamente ao artista - permite assim que a sua obra seja conhecida por um público mais alargado.
De salientar ainda que o realizador Manoel de Oliveira no seu filme de 1983: “Nice - À propos de Jean Vigo” havia registado alguns momentos do trabalho artístico de Manuel Casimiro realizado em Nice entre os anos 70 e 80, tendo sido resgatados alguns desses momentos para o presente documentário.
A voz-off é do ator Luís Miguel Cintra.
© Copyright FASVS 2010 | Design by MOZO